Sinal Digital: por que e como devo migrar?

Tire suas dúvidas sobre o que muda no sinal da televisão aberta.

Em algumas regiões do Brasil, como a Grande São Paulo, a transmissão 100% digital já é uma realidade. A expectativa é que até o final de 2018, todo o país tenha migrado para o sinal digital.

Na região de Sorocaba, assim como em Campinas e mais 84 cidades em seu entorno, o sinal antigo, chamado de sinal analógico, será desligado no dia 29 de novembro. Essa transição tem causado muitas dúvidas. Então, separamos alguns pontos importantes sobre o assunto para que você se mantenha informado e se prepare para a mudança.

Por que o sinal analógico será trocado pelo sinal digital?

O processo de modernização do sinal da televisão brasileiro teve início em abril de 2015 e foi uma determinação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Anatel.  O sinal analógico tem diversas limitações técnicas em relação ao sinal digital. Além disso, causa interferência nos sinais das redes 3G e 4G das operadoras de telefonia.

Quais as vantagens em migrar para o sinal digital?

Com o sinal digital é possível gerar e transmitir imagens em resoluções, o que garante imagem nítida e sem fantasmas ou chuviscos.

Além disso, essa transição traz uma nova possibilidade para os canais de televisão. Com o sinal digital é possível que o mesmo canal tenha mais de um código associado por meio de um número complementar (o canal 3 poderia ter o código 3.1, 3.2, e assim em diante). Na prática, isso permite que o mesmo canal transmita programações diferentes ao mesmo tempo. Por exemplo, o canal 3, pode enviar uma competição esportiva para o código 3.1 e um programa de auditório no canal 3.2, atingindo 2 públicos com gostos diferentes ao mesmo tempo.

Como faço para ter o sinal digital em minha casa?

Para obter o sinal digital, você precisará de uma antena UHF. Caso ainda não a possua, procure um profissional para instalar a antena externa. Você também pode optar por um modelo de antena interna, que pode ser instalada em sua janela, varanda, ou até mesmo no televisor.

Depois, você deve descobrir se seu aparelho de televisão já possui o conversor digital interno. Grande parte dos aparelhos fabricados depois de 2010 tem o conversor embutido. Nesse caso, basta que você conecte o cabo da antena UHF à sua televisão e consulte o manual para fazer a configuração dos canais. Essa configuração geralmente envolve apenas selecionar a opção “Buscar Canais”.

Caso seu televisor não possua o conversor interno e você não queira comprar um novo, basta comprar um conversor externo.  Esse aparelho irá receber o sinal captado pela antena e convertê-lo em uma forma compatível com seu televisor. A configuração do conversor é bem simples e similar à dos aparelhos de televisão com o conversor embutido, basta seguir as instruções do manual.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Saiba quais são os eletrodomésticos vilões que consomem mais energia

Ter consciência de quanto cada equipamento gasta e tomar algumas atitudes pode ajudar a economizar

Os cuidados devem começar ainda na hora da compra do aparelho. “O consumidor deve estar atento à etiqueta indicativa de consumo de energia elétrica através do selo Procel”, afirma Ione Amorim, economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC).

Isso porque os produtos apresentam notas de A a E de acordo com a eficiência energética de cada um. Inclusive, é preciso atenção até mesmo para o mesmo produto, porém de marcas diferentes. “Os aparelhos de diferentes marcas e modelos possuem selo indicativo de consumo que pode ajudar o consumidor escolher pelo equipamento e marca que gerar mais economia”, complementa.

ar-condicionado
Imagem: Shutterstock.com
É importante fazer um planejamento em relação ao uso dos equipamentos. Uma dica é ter atenção aos horários de pico de consumo, pela manhã e no início da noite. “Em função da concentração de consumidores com equipamentos ligados, a tarifa reflete no preço do uso nesse período”, esclarece Ione, que acrescenta que outro ponto fundamental é não utilizar vários equipamentos ligados à mesma conexão de tomada e evitar o aquecimento das tomadas.
geladeira-organizada
Imagem: Shutterstock.com

Os aparelhos devem ser desligados das tomadas sempre que estiverem fora de uso. “Quando não são usados com frequência, esses equipamentos mesmo desligados consomem energia quando ficam no modo stand-by. O simples ato de desligar da tomada os aparelhos que estão fora de uso, contribui para a redução de 15% do consumo de energia”, ressalta a economista do IDEC.

agua
Imagem: Shutterstock.com

Também é preciso ficar atento quanto ao uso de cada aparelho. Algumas atitudes pode evitar o consumo excessivo de energia. O ar-condicionado é um dos principais vilões da conta no fim do mês. Para garantir que o consumo seja mais eficiente, é preciso acertar a temperatura ideal, na casa dos 23 graus. Eleger uma temperatura muito baixa vai fazer com que o aparelho tenha mais esforço e gaste mais. Manter as portas e janelas fechadas e os filtros sempre limpos também ajuda.

ferro_de_passar
Imagem: Shutterstock.com

O chuveiro elétrico é outro que pesa no orçamento. “Eles são grandes consumidores de energia elétrica e, durante o inverno, também são impactados pelos horário de pico elevando o nível de consumo. Durante as estações menos quentes, deve ser mantido no nível de água menos quente e também contar com banhos rápidos para reduzir o impacto no consumo de energia elétrica e também de água”, explica Ione Amorim.

A geladeira também entra na lista das que consomem bastante energia. “O ideal é evitar a proximidade do equipamento com zonas de calor, como fogão, ou com incidência direta de sol e evitar deixar a porta aberta”, explica a economista. Fazer a manutenção constante das borrachas para que as portas fiquem bem vedadas também é fundamental.

dvd
Imagem: Shutterstock.com

Também deve-se otimizar o uso do ferro elétrico. “É bom concentrar o volume de roupas em um dia específico e fora do horário de pico”, esclarece Ione. Em relação à máquina de lavar, o recomendado é colocar o máximo de roupas possível para lavar de uma só vez, lembrando de não exceder a capacidade do equipamento. A iluminação também deve receber atenção e a lâmpada de LED é mais eficiente, já que acende gastando pouca energia.

Veja os eletrodomésticos que mais consomem energia:

eletrodomésticos que mais consomem energiaimagem: Felipe Do Valle

Via | Zap em Casa


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Escolha a caixa d’água ideal

Saiba quais aspectos considerar antes da compra do produto

Indispensáveis para armazenar a água e abastecer o imóvel em dias em que o fornecimento for interrompido, as caixas d’água possuem características que devem ser cuidadosamente analisadas antes da compra.

caixa_agua

imagem:  Leroy Merlin.

Para começar, os produtos são vendidos em diferentes tipos de materiais e você precisa conhecer um pouco sobre cada um deles. O mais tradicional é o de polietileno, cujos principais benefícios são a leveza da peça e a facilidade de manuseio e de instalação.

Existe também a caixa d’água de fibra de vidro, produto leve e de fácil limpeza, porém sem tanta resistência contra impactos e perfurações. Outro tipo muito comum é o de aço inox, que apresenta alta durabilidade e é um dos modelos mais resistentes a corrosões, garantindo a qualidade de água e a deixando mais fresca, mesmo no verão.

Fique atento à capacidade da caixa d’água

Para dimensionar o tamanho da caixa d’água ideal para sua casa é preciso, primeiramente, saber que o consumo médio diário é de 150 litros por pessoa. Existem diversos tamanhos de caixa d’água para atender as diferentes necessidades dos consumidores.

As caixas d’água de 500L, por exemplo, são recomendadas para abastecer uma casa com até duas pessoas. Já as de 750L a 1500L são indicadas para famílias com até cinco integrantes. Opte pela caixa de 1750L a 5000L caso morem de 10 a 15 pessoas no imóvel. Os modelos que comportam acima de 5000L devem ser instalados em locais onde vivem mais de 20 indivíduos.

Caso o fornecimento público de água seja interrompido, essas proporções suprem a necessidade por até dois dias. Saiba, no entanto, que essas medidas podem variar de acordo com o local onde você mora e com consumo. Se em sua região é comum faltar água, considere adquirir um produto com maior capacidade.

Instalação correta

Quer saber como instalar uma caixa d’água? A instalação deve ser feita em um local de fácil acesso, ventilado e sempre em uma superfície plana. Para evitar qualquer dano, deve-se construir um apoio nivelado de concreto um pouco maior que a caixa. Não é recomendada a colocação da caixa diretamente no solo porque a presença de desníveis e de detritos pode comprometer a integridade do produto.

O perfeito funcionamento depende também da compra de alguns acessórios, como a torneira bóia, que auxilia no controle de entrada de água. Não se esqueça do filtro para caixa d’água, que purifica o líquido na entrada do reservatório e reduz a necessidade de manutenções frequentes, justamente por mantém o reservatório limpo.

Como limpar uma caixa d’água?

– Primeiramente, saiba que é preciso realizar a limpeza a cada seis meses;
– Você vai precisar de balde, pá, panos limpos, escova ou esponja e água sanitária;- Feche o registro, esvazie a caixa e depois tampe a saída de água;
– Comece a limpeza da caixa esfregando o fundo e as laterais usando água sanitária;
– Depois de limpa, seque-a com os panos, encha a caixa d’água e despeje um litro da água sanitária. Espere por duas horas e a esvazie sem consumir a água;
– Volte ao uso normal


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

O que fazer quando falta água?

Para sobreviver à falta d’água quando o abastecimento da cidade está suspenso é importante adotar medidas de economia de água para não ficar literalmente na seca.

água.png

Armazenar adequadamente água limpa é fundamental para garantir a sua integridade. A água limpa pode ser armazenada em garrafas PET, baldes, bacias, piscinas, caixas d’água ou tanques, devidamente tapados para evitar a reprodução do mosquito da dengue.

Embalagens de produtos de limpeza não devem ser usados para armazenar nenhum tipo de água, nem mesmo para lavar os alimentos.

Como utilizar a água sem desperdício

Para utilizar a água na medida certa, evitando o desperdício é importante guardar 10 litros de água por pessoa, que é suficiente para 3 dias, e adotar as seguintes estratégias:

  • Beber 1,5 litro de água por dia e diminuir o consumo de sal, que promove a sede;
  • Limpar as mãos com álcool em gel ou desinfetante caseiro sempre que for necessário;
  • Usar somente 1/2 copo de água para escovar os dentes, utilizando o mínimo possível de pasta de dente;
  • Não usar o vaso sanitário, fazendo xixi na terra e as fezes no jornal, colocando-o a seguir dentro do saco de lixo para o caminhão do lixo levar para o aterro sanitário;
  • Dar água para os animais de estimação mas evitar que seu recipiente de água esteja muito cheio;
  • Não tomar banho com água do chuveiro, utilizando apenas 1 balde de 5 litros de água para limpar as mãos, genitais, axilas e pés com o mínimo de água possível ou use lenços umedecidos;
  • Lavar a loiça sem água, usando jornal, revista ou papel de cozinha para retirar os restos dos alimentos das panelas, pratos e copos. No final borrifar um pouquinho de água limpa ou álcool líquido e limpar com um pano limpo. Avalie a possibilidade de usar copos, pratos e talheres descartáveis.

Além disso também é importante evitar o desperdício de água não regando as plantas até que abastecimento de água seja regularizado e não lavar o carro, moto, bicicletas e áreas exteriores.

Como reutilizar a água da chuva

A água da chuva pode ser utilizada para limpar a casa, regar as plantas, descarga do vaso sanitário e para lavar roupas. Passar a água da chuva por uma peneira para eliminar folhas e outros vestígios menores pode ajudar a purificar a água, ampliando suas possibilidades de uso.

Se a água não tiver cheiro ou cor, pode-se purificar esta água usando hipoclorito de sódio. Basta pingar 2 a 4 gotas de hipoclorito de sódio em 1 litro de água e esperar meia hora para utilizar.

Em algumas situações, a água da chuva pode estar contaminada com metais pesados e por isso o mais seguro é não utilizar esta água para consumo humano ou animal. A água com suspeita de contaminação por mercúrio não deve ser fervida porque pode passar mercúrio para o ar, sendo prejudicial à saúde.

Como fazer um antisséptico caseiro para lavar as mãos sem água

Este antisséptico caseiro pode ser utilizado para limpar a pele com um pouco de água e um pano limpo, sendo muito útil para desinfetar as mãos, os braços, pernas e pés.

O que fazer para sobreviver quando falta água

Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
  • 1 copo de álcool
  • 5 cravos-da-índia
  • cerca de 2 litro de água

Modo de preparo:

Em uma garrafa PET de 2 litros adicione os ingredientes, iniciando pelo bicarbonato de sódio e a seguir, os outros e então agite bem a mistura.

Apesar deste desinfetante caseiro não irritar a pele, seu uso em crianças e idosos deve ser feito com cautela porque estas pessoas possuem uma pele mais sensível, que fica irritada mais facilmente.

Como fazer um shampoo caseiro para lavar o cabelo sem água

O shampoo seco é uma ótima opção para lavar o cabelo quando falta a água, e este pode ser facilmente comprado em salões de beleza ou lojas de cosmética. Além disso, este tipo de shampoo também pode ser feito em casa, de uma forma caseira e natural, sem químicos, usando apenas alguns ingredientes bem simples:

O que fazer para sobreviver quando falta água

Ingredientes:

  • maizena ou talco para bebê
  • 1 colher de sopa de grãos de arroz
  • 1 saleiro ou 1 pimenteiro

Modo de preparo:

Encher o saleiro com maizena ou talco para bebê e adicionar os grãos de arroz. Agitar bem o franco, aplicar na raiz do cabelo e massagear com os dedos e deixar atuar entre 5 a 10 minutos. No final desse tempo, pentear o cabelo para remover o shampoo seco.

O Shampoo seco apenas deve ser aplicado 1 vez por dia e apenas na raiz do cabelo. Para aplicar, deve separar o cabelo em diferentes áreas da cabeça, e ir aplicando pequenas quantidades do produto diretamente na raiz do cabelo, massageando com os dedos ate que o pó desapareça.

O arroz adicionado apenas vai servir para ajudar a evitar que o pó grude dentro do frasco. Além disso, se tiver cabelo castanho, pode adicionar à mistura cacau em pó sem açúcar, ou se for ruiva pode adicionar canela em pó. Estes ingredientes vão evitar que o seu cabelo fique esbranquiçado, ajudando o shampoo seco a misturar melhor com a cor do seu cabelo.

Caso prefira, este shampoo também pode ser feito usando Bicarbonato de sódio, e neste caso para cada 2 colheres de amido de milho deve acrescentar 1 colher de Bicarbonaro de sódio. Porém, esta versão de shampoo seco não deve ser usada em cabelo com química, como tinturas, alisamento, selante ou escovas progressivas.

E você tem mais dicas? Compartilhe nos comentários!

Via | Tua Saúde


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Compre seu apê em 2017

Para conseguir juntar o dinheiro e comprar o primeiro apartamento é preciso muito planejamento e disciplina. Por isso, no post de hoje, vamos listar algumas dicas que podem te ajudar a conquistar seu primeiro lar e facilitar esse processo!

seu_ape

1. Planeje bem os custos

Comprar um apartamento não é nada barato, por esse motivo, muitas pessoas que possuem dificuldades em poupar optam pelo financiamento, como forma de obrigar o pagamento mensal das parcelas.

2. Aprenda a se tornar um poupador

O primeiro passo para se tornar um poupador é começar a controlar suas finanças. Saber quanto gasta com comida, moradia (caso pague aluguel), saídas, etc. é o diferencial para poder enxergar aquelas brechas onde os gastos podem ser cortados ou reduzidos.

3. Faça a grana render para comprar o primeiro apartamento

Evite gastos com cartões de crédito e crediários, faça seus pagamentos sempre à vista evitando a contração de dívidas futuras. Quando estiver conseguindo juntar um montante mensal, movimente o dinheiro! Dinheiro parado não rende nada, e investir em algumas aplicações podem fazer com que a quantia cresça mais rápido e o sonho do primeiro imóvel se concretize com mais agilidade.

4. Se for financiar…

Nem sempre conseguimos juntar a grana total para comprar o apartamento, visto que imóveis são onerosos. Porém, caso precise realizar o financiamento, sempre dê uma entrada. Usar o FGTS também pode ser uma boa, mas lembre-se sempre de pesquisar bem as taxas e condições de banco e negociar para conseguir as melhores condições.

5. Procure o imóvel ideal

Só você pode dizer o que é o imóvel ideal no seu caso, pois cada um tem suas necessidades específicas. Por exemplo: se você trabalha em casa, não precisa de localidades com fácil acesso ao transporte público ou vias de trânsito rápido; caso goste de espaço, pode optar por apartamentos mais antigos, que possuem plantas maiores; se é uma pessoa mais reservada, pode procurar prédios sem salão de festas, diminuindo o valor do condomínio.

6. Verifique as condições do apartamento

As opções são muitas, mas algumas dicas na hora de escolher o imóvel também são válidas para evitar futuras dores de cabeça:

  • Verifique a vizinhança: visite o imóvel em vários momentos do dia para ver o nível de segurança e de barulho;
  • Observe a orientação do sol: caso o apartamento receba muita incidência de luz solar durante todo o dia, isso pode causar desconfortos nas épocas mais quentes;
  • Cheque as instalações tubulares de água (abra as torneiras do imóvel e veja se água sai limpa) e a rede elétrica (veja se as tomadas já estão no novo padrão ou se a rede é muito antiga). Isso pode evitar transtornos com futuras manutenções.

E aí, pronto para começar a poupar e comprar o primeiro apartamento? Comente no nosso post e nos conte como está sendo esse processo para você!

Se tiver mais dúvidas de como conseguir sua casa própria, entre em contato conosco clicando aqui AE PATRIMÔNIO.

Via | Guia Bolso


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

3 motivos para morar no interior de São Paulo

Estamos vivendo um movimento diferente de anos atrás. Antigamente, as pessoas saíam em busca de melhores oportunidades na “cidade grande” e, hoje, realizam o inverso, trocando o estresse pelas vantagens da vida no interior.

Essa escolha se dá pela qualidade de vida que as cidades menores oferecem, além de outros benefícios encontrados em loteamentos fechados.

Listamos 3 motivos para morar no interior de São Paulo, confira!

motivos para morar no interior de são paulo


1. Mais proximidade com tudo e com todos

Para quem está acostumado com a frieza de São Paulo, a solidariedade faz toda a diferença.

No interior as pessoas parecem estar sempre dispostas a ajudar, pois todo mundo acaba se conhecendo e se tornando próximo.

2. Sossego para você e sua família

A vida no interior é mais tranquila por vários motivos: violência reduzida, os ônibus e metrôs lotados dão lugar para caminhadas e bicicletas, não existe engarrafamento de horas e você leva minutos para ir a qualquer lugar.

Opções de entretenimento são menores comparados à capital, mas até isso favorece a relação com a natureza e a nova cidade.

Itu, por exemplo, é uma cidade riquíssima de história e seu turismo é famoso.

3. Presente da natureza

Você se lembra da última vez que admirou um céu estrelado?

Morar no interior possui o privilégio que as luzes e poluição da capital não permitem: viver na companhia das estrelas todas as noites.

Via| Blog Una Itu.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Novembro Azul

capa_facebook-aeNovembro Azul alerta homens sobre a importância do exame de próstata.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. O diagnóstico precoce pode aumentar em 90% as chances de cura. O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. E é de olho naqueles que não se cuidam que a campanha Novembro Azul foi criada.

O objetivo é levar informação e reduzir os números de mortes por causa da doença. Na Paraíba, pelo menos um homem é internado por dia com esse tipo de câncer. A doença é silenciosa e quando apresenta algum sintoma, pode ser tarde demais. O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata homens na Paraíba, perdendo apenas para o de pulmão.

A sorte é que é possível prevenir. Um simples exame de sangue conhecido como PSA pode ser a salvação. Os médicos recomendam que o primeiro PSA seja feito aos 50 anos, para a maioria dos homens, e aos 45 para aqueles que têm histórico de câncer na família.

Mas para um diagnóstico mais preciso, os médicos recomendam também o toque retal. A combinação entre o exame de sangue com o exame físico, que é o toque retal, é o que existe de melhor atualmente para a detecção precoce do câncer de próstata. O câncer de próstata detectado inicialmente tem uma chance de cura de 90%. Mais uma justificativa para o homem se cuidar antes de sentir alguma coisa.

Via | G1


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.