Alugar ou Financiar, eis a questão.

Sempre que se pensa em sair da casa dos pais seja para morar sozinho ou para começar a vida a dois, a mente é inundada de possibilidades e claro dúvidas. Entre as principais dúvidas que surge na hora de dar esse passo tão importante é: melhor um aluguel ou um financiamento?

01-1
imagem: Shutterstock

Por isso se esse for seu caso, preparamos dicas especiais para decidir qual é a o melhor negócio para você.

Continuar lendo “Alugar ou Financiar, eis a questão.”

Anúncios

Como funciona o financiamento para reforma de imóveis?

É muito comum recorrer ao financiamento na hora de comprar uma casa ou apartamento, porém o que poucas pessoas sabem é que é possível financia a reformar de um imóvel.  Exclusivo para reforma de imóveis residenciais, o dinheiro do financiamento pode ser usado para qualquer tipo de reparo.

As regras para financiar a reforma de um imóvel é bem similar ao crédito voltado para as construções e uma das grandes vantagens desse tipo de financiamento é que ele pode cobrir todos dos custos da obra, desde os materiais utilizados, mão de obra e até mesmo móveis.

02
imagem: Shutterstock

Continuar lendo “Como funciona o financiamento para reforma de imóveis?”

O que fazer depois de pegar as chaves de um novo imóvel?

Pegar as chaves do tão sonhado imóvel é sem sombra de dúvidas um momento muito aguardado. Por esse motivo é importante já fazer um planejamento para que na hora da mudança você otimize o tempo e não tenha dor de cabeça.

02
imagem: Shutterstock

Continuar lendo “O que fazer depois de pegar as chaves de um novo imóvel?”

Como escolher o bairro para se comprar um imóvel?

Nem sempre o bairro mais conhecido é o ideal. Separamos algumas dicas que te ajudarão a identificar o melhor bairro para você.

Escolher um bairro para se mudar não é uma tarefa fácil. É comum seguir conselhos de familiares e amigos, ou buscar as opções mais populares do mercado. Mas a verdade é que o bairro ideal para você pode ser um bairro desconhecido. Por isso, antes de tomar uma decisão é importante avaliar alguns pontos chave.

Verifique se o bairro se encaixa na sua rotina

É importante avaliar se a distância do bairro em relação aos locais que você ou os outros moradores da casa se deslocam com frequência. Aumentar a sua distância do trabalho ou faculdade, por exemplo, nunca é uma boa ideia. Além de aumentar o tempo gasto no deslocamento, essa distância pode aumentar também os custos com combustível.

Caso você ou outro morador da casa faça uso de transporte público, verifique a proximidade com pontos e terminais de metrô e/ou ônibus, e qual a frequência das linhas que passam por esses pontos.

Avalie se o bairro é adequado às suas necessidades

O ideal é que sempre se opte pelo bairro que lhe oferecer a maior gama de estabelecimentos comerciais e serviços, como mercado, farmácias e escolas, ou seja, tudo aquilo que poderá fazer diferença na sua rotina. Mas quando não é possível encontrar um bairro que tenha tudo por perto, você deve optar por aquele que possui o que fará maior diferença no seu cotidiano. Se você tem crianças em idade escolar, por exemplo, uma boa escola próxima terá peso maior no seu dia a dia.

Tenha certeza de que a infraestrutura do bairro é adequada

É essencial ter certeza que o fornecimento de água, luz e gás do bairro não possui nenhum problema. Um ponto importante para a segurança é verificar se o bairro possui boa iluminação pública, o que pode ser verificado em uma visita noturna.

Além disso, a existência de áreas verdes, como parques e jardins, é um diferencial que deve ser levado em conta. Além de tornar o bairro mais bonito, essas áreas influenciam na qualidade do ar e no clima local, podendo servir também como ótimas alternativas de lazer e práticas de uma vida saudável.

Reserve um tempo para conhecer os vizinhos

A experiência dos moradores do bairro é o que poderá confirmar suas percepções, expectativas e o que você ouviu falar sobre o bairro. Seja cordial e busque conversar com os vizinhos do imóvel, veja com eles o que pensam sobre o bairro, quais são os problemas mais frequentes, como é a segurança do local, como é o trânsito e qualquer outra questão que seja de importância para você. Agende também uma visita no local em que geralmente estará no imóvel no seu dia a dia para saber como é o barulho e a movimentação no bairro.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Como organizar seu banheiro para vender seu imóvel mais rápido

Separamos algumas dicas para que seu banheiro se torne mais atrativo.

O banheiro é um dos fatores decisivos na hora de comprar um imóvel. O comprador irá avaliar com muita atenção a organização e higiene desse espaço. Por isso, é importante que o banheiro seja atrativo na hora de abrir sua casa para um possível comprador.

Confira algumas dicas que separamos para organizar seu banheiro e vender seu imóvel mais rápido.

Remova Objetos Pessoais

É importante que o comprador visualize seus próprios objetos ao visitar seu imóvel. Além disso, banheiros costumam ter diversos objetos pessoais que podem distrair o comprador ao analisar o cômodo, como sabonetes, pasta de dente, dentre outros.

Para tornar mais prático o processo, você pode ter uma caixa para colocar todos os objetos do banheiro e guarda-la no próprio armário da pia, ou outro lugar fora da visão do comprador. Assim fica mais fácil tirá-los de vista e depois colocá-los de volta ao seu lugar.

Pinte o Teto de Branco

É normal que depois de anos de uso, existem sinais de mofo no teto do banheiro ou outras manchas que transmitam uma sensação de sujeira. Pintar o teto de branco irá acabar com esse problema, além de melhorar a iluminação do banheiro e transmitir a sensação de um ambiente mais arejado.

Esmalte no azulejo pode deixar o ambiente mais iluminado e moderno

Banheiros mais antigos costumam ser completamente azulejados. As estampas muitas vezes chamam muito a atenção e podem não ser do agrado de quem está analisando o imóvel para compra. A forma de solucionar isso é comprar esmaltes próprios para pintura de azulejos, em uma cor neutra, e pintar completamente aos azulejos. A cor neutra de uma nova pintura, além de transparecer limpeza, dá um tom mais moderno e atrativo para o banheiro.

Remova ou substitua elementos muito antigos ou que chamem muita atenção

Caso seu banheiro tenha muitos toalheiros, ou um box muito antigo no chuveiro, considere a substituição desses itens por itens mais moderno ou se possível a remoção deles.

Garanta que a torneira e o registro não estejam com vazamentos

Por fim, garanta que não haja nenhum vazamento ou gotejamento no banheiro. Um problema como esse causa um impacto muito negativo no possível comprador, por isso, conserte antes de abrir sua casa para visitas.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Contrato de Aluguel: o que não pode faltar?

Conheça os pontos essenciais de um dos documentos mais importantes na hora da locação.

O contrato de aluguel é onde deverão constar todos os mínimos detalhes sobre os direitos do proprietário e do inquilino de um imóvel. Por isso, é um documento que deve ser feito e lido com o máximo de cuidado.

No contrato deve constar, além dos direitos e deveres do proprietário e do inquilino, a descrição do imóvel, a data de vencimento do aluguel, a forma de reajuste do aluguel, o período de multa e o prazo de duração do negócio. Pela lei, depois do fim do prazo, o contrato vale por tempo indeterminado.

Além do contrato tradicional, destinado a quem vai habitar o imóvel, ainda existem outros tipos de contrato. Os contratos para aluguel de temporada podem durar somente até 90 dias, e nessa modalidade o aluguel pode ser cobrado com antecedência.

Já no caso de quem vai alugar apenas um cômodo de um imóvel, o contrato deve especificar as regras de convivência (especificar o quarto que será alugado, onde o inquilino poderá transitar, horários para cozinhar e lavar roupa, se pode fumar, beber e levar visita, entre outras coisas).

Esse tipo de contrato também não pode conter serviços como café da manhã ou limpeza, já que para prestação de serviços, o contrato deve se basear no Código Civil e possui regulações diferentes.

Reajuste do Valor do Aluguel

Existem dois tipos de reajuste: o ajuste anual, que é feito baseado no Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) da Fundação Getúlio Vargas, e o ajuste voluntário ao fim do contrário, que é fruto de uma negociação entre o inquilino e o proprietário de acordo com os preços praticados no mercado. É importante que a forma de reajuste que será utilizada seja especificada no contrato de forma a que não haja dúvidas e o reajuste seja justo para ambas as partes.

Taxas

No contrato, deve-se definir se o valor do condomínio, IPTU e taxa de Bombeiros estará incluso no valor do aluguel ou será pago por fora. É comum que os proprietários escolham incluir esses valores no aluguel para evitar problemas caso haja inadimplência no pagamento das taxas. Quem deverá pagas taxas extras, casos elas existam, também deve constar no contrato. Caso quaisquer taxas fiquem a cargo do inquilino, é importante que o proprietário fique atento ao pagamento delas.

Consertos e Reformas

Nos casos de danos causados por deterioração do imóvel, o conserto fica a cargo do proprietário. Já para danos causados pelo inquilino, os custos do reparo devem ser cobertos pelo próprio inquilino. O contrato deve conter fotos com a situação atual do imóvel para evitar que haja desacordo em relação a quaisquer danos que venham a ocorrer.

No caso de reformas, o proprietário não é obrigado a pagar. É possível negociar para que esse valor seja abatido no aluguel ou para que ambos arquem com as despesas. É importante frisar que qualquer alteração no imóvel deve ser autorizada pelo proprietário e anexada ao contrato.

Pagamentos

O vencimento e valor do aluguel devem estar descritos no contrato, bem como outras contas como o IPTU, caso elas fiquem na responsabilidade do inquilino. O inquilino deve ficar atento a esses pagamentos, pois a inadimplência pode levar ao despejo. Ainda fica a cargo do inquilino o pagamento de contas como energia, água e gás.

Desocupação do Imóvel

No contrato também será estabelecido o prazo do aluguel. Ao final do contrato, ele pode ser renovado ou o imóvel ser solicitado de volta pelo proprietário.

Caso o inquilino deva desocupar o imóvel ao fim do prazo de aluguel, ele deve pedir o comprovante de quitação e entrega das chaves. Se o inquilino quiser sair antes do fim do prazo do aluguel, existem algumas regras a serem cumpridas, e que devem estar estabelecidas no contrato.

Rescisão de Contrato

Por lei, o proprietário não pode solicitar o imóvel de volta enquanto o contrato estiver valendo. Porém, existem algumas exceções que devem estar explícitas no contrato. Uma delas é caso o inquilino descumpra as regras estabelecidas no contrato, ficando então com um prazo de 30 dias para desocupar o imóvel.

Se o inquilino resolver sair do imóvel antes do fim do contrato, deve pagar uma multa proporcional ao período restante do contrato vigente. Esse valor deve estar estabelecido no contrato. Essa multa não será exigida caso o inquilino seja transferido por seu empregador para trabalhar em outra localidade. Em todo caso, o proprietário e a imobiliária devem ser notificados com 30 dias de antecedência.

Obrigações

No contrato, deve ser estabelecido o fim para qual o imóvel foi alugado no acordo entre as partes. Se o imóvel foi alugado para fins residenciais, não pode ser usado para comércio, e vice-versa. Qualquer modificação deve ser autorizada por escrito pelo proprietário do imóvel. É obrigatório também que o inquilino devolva o imóvel no mesmo estado em que o recebeu.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.

Condomínio: 5 vantagens de se morar em um.

A busca dos consumidores por privacidade, segurança e qualidade de vida vêm fazendo com que a quantidade de condomínios construídos aumente ano a ano. Esse movimento tornou o segmento de condomínios mais competitivo, com empreendimentos que oferecem cada vez mais opções estrutura e preço. Apesar disso, os consumidores ainda relacionam condomínios fechados com um custo elevado de vida.

A verdade é que cada caso é um caso. Para saber se morar em condomínio vale a pena ou não para você, é preciso colocar na ponta do lápis os custos e os benefícios. A taxa de condomínio pode, na verdade, te fazer economizar. Isso acontece porque essa taxa cobre custos que, morando em um imóvel fora de condomínio, você teria que arcar de qualquer forma.

Muitos condomínios também oferecem serviços agregados que podem te fazer economizar com serviços externos, como as opções de lazer. Além disso, muitas vezes o estilo de vida de um condomínio fechado pode se encaixar no seu estilo de vida.

Listamos 5 vantagens de se morar em um condomínio para ajudar você a entender se morar em condomínio é uma boa opção para você, confira abaixo.

1. Segurança

Quando se fala em condomínio, esse é o primeiro fator quem vem à memória. Portaria 24 horas, monitoramento por câmeras, cerca elétrica, ronda noturna, são diversos os mecanismos que condomínios empregam para diminuir o número de ocorrências. Não importa se é um condomínio de apartamentos ou de casas, essas medidas fazem toda a diferença e teriam que ser tomadas por contra própria quando se mora fora de um condomínio.

2. Opções de Lazer e Saúde

As opções de lazer são grande parte do atrativo de condomínios. Playgrounds, piscinas, espaços para churrasco, quadras de diversos esportes, salão de festas, são apenas algumas das opções mais comuns dos condomínios. Alguns condomínios chegam a contar com pistas de caminhada, academias, espaços gourmet e opções mais avançadas. Isso faz com que você possa usar espaços do condomínio para aproveitar o fim de semana ou se manter em forma, em vez de alugar ou pagar mensalidade de um local externo.

3. Rateio de Despesas

Os valores da segurança do condomínio e manutenção das áreas comuns que citamos anteriormente são inclusas no valor da taxa do condomínio, junto a despesas como energia. O fato de que essas despesas são rateadas entre todos os moradores faz com que esses serviços sejam, geralmente, mais baratos que se você tivesse que arcar com isso sozinho.

4. Privacidade

Se você não gosta de receber visitas inesperadas como vendedores ambulantes, ficar recebendo diversos folhetos em seu jardim ou outros tipos de acessos comuns em casas na rua, morar em um condomínio é a opção ideal para você.

5. Comunidade

A segurança de estar em um espaço fechado com diversas opções de lazer torna mais fácil para os pais deixar as crianças brincarem mais soltas e fazer amizades. Essa sensação de comunidade pode levar também os adultos a estreitaram laços e fazerem grandes amizades.


AE Patrimônio | O Jeito Certo de Escolher  Imóvel.